oborrachao

Municípios Alagoanos

Desde a foz do Rio São Francisco, onde desenha a fronteira sul com Sergipe, a estrada do litoral rico em belezas naturais segue até o norte, entrando em Pernambuco. É o Estado de Alagoas, terra onde há lagoas e belíssimas praias. Onde se encontra uma culinária diversificada, à base de frutos do mar, atrativa aos olhos e ao paladar, além de muita riqueza de uma parte histórica, cultural e religiosa do nordeste.

O principal destino dos turistas no Estado de Alagoas não é, apenas, a cidade de Maceió ou encanto do paraíso das águas apreciado de norte a sul do estado. A histórica cidade de Penedo ou o clima frio e gostoso do alto sertão de Água Branca, também, encantam e são visitados pelos que fazem turismo em Alagoas.

São ao todo 102 municípios alagoanos, com ricas e diferentes marcas históricas. Cidades que representam a devoção religiosa através de festas e da forte crença de um povo cristão. Em cada canto dessa Estrela Radiosa, diversas culturas nascem, encanta e brilham. E levam o nome de Alagoas para o mundo. São muitas as curiosidades de um povo que luta e continua fazendo história aqui, em Alagoas.

São essas pessoas que vão contar a história de Alagoas: os personagens que fazem os 102 municípios alagoanos constroem Alagoas. Conheça os Municípios Alagoas!

 

Programa constrói casas e gera emprego em São Miguel dos Campos

Minha Casa Minha Vida vai construir 499 casas e oferecer 700 empregos com inicio imediato

O sonho da casa própria pode virar realidade para centenas de pessoas que ganham até três salários mínimos em São Miguel dos Campos através do programa Minha Casa Minha Vida lançado na segunda-feira,19. Uma parceria entre Prefeitura de São Miguel dos Campos e a Caixa Econômica Federal vai ofertar 700 empregos e construir 499 casas do Residencial Novo São Miguel, no Valdemar Cavalcante.  

As casas de 42m² serão as primeiras do Brasil a terem energia solar para o aquecimento da água. O investimento de R$ 23 milhões possibilitará a construção de unidades habitacionais com sala, cozinha, banheiro, circulação, dois dormitórios e área externa. O prazo de construção é de 12 meses e o valor mínimo de pagamento da prestação é correspondente a 10% da renda familiar bruta do beneficiário ou R$ 50,00 o que for maior.

A assinatura do contrato para a construção do Residencial Novo São Miguel só pode ser feito por conta do terreno que foi doado pela Prefeitura para a Caixa. Segundo o prefeito de São Miguel dos Campos, George Clemente (PSB), a agilidade para conseguir moradia digna a população foi um esforço de todas as esferas do município. “Em apenas 70 dias de governo trouxemos muitas mudanças para São Miguel e é com grande alegria que conseguiremos realizar o sonho dos miguelenses dando moradias dignas, e só possibilitamos isso com a aprovação da transferência do terreno em caráter de urgência pela Câmara de Vereadores” falou George.

Para o deputado federal Givaldo Carimbão (PSB) a Prefeitura de São Miguel dos Campos conquistou algo inédito. “Em cerca de 40 dias George e sua equipe conseguiram algo inédito em Brasília. Eles fizeram o projeto, o licitaram e o aprovaram pela Caixa Econômica em poucos dias. Esse é um dos fatores que me fazem acreditar que com esse prefeito São Miguel será um exemplo para o Brasil”, enfatizou Carimbão.

De acordo com o vice-prefeito de São Miguel dos Campos, Pedro Ricardo Jatobá (PSL), a qualidade de vida da população é prioridade para a Prefeitura. “Nosso trabalho e dedicação é voltado para melhorar a vida dos miguelenses e é com imensa satisfação que concluímos uma união para o bem estar da população ao prover habitação e emprego no município”, destacou o vice-prefeito.

O diretor da empresa responsável pela obra, José Hugo Ferro, disse que a Engenharq além de construir as casas irá oferecer capacitação e empregos para a população. “O prefeito pediu para que a mão de obra fosse toda de São Miguel e é o que vamos fazer. A Engenharq está oferecendo 700 vagas para inicio imediato, sendo 400 para pedreiros e 300 para serventes. Como não existe essa quantidade de gente habilitada, a empresa está oferecendo capacitação, e também está abrindo vagas para o segmento feminino através do programa Mulher na Obra”, orientou Hugo.

O açougueiro morador do Hélio Jatobá II, Gilmar Oliveira de Lima, expôs que se ele conseguir a casa vai realizar um sonho. “Meu sonho é ter uma casa minha para morar e se Deus quiser eu vou conseguir através desse programa. A Prefeitura está de parabéns, pois está conseguindo além das casas, emprego para quem precisa, e tem muita gente precisando em São Miguel”, afirmou Gilmar.

A secretária municipal de Trabalho, Habitação e Assistência Social, Maria Betânia de Paula, disse que essa é a hora do crescimento de São Miguel dos Campos. “Em menos de três meses São Miguel está dando o passo certo para andar corretamente e se desenvolver. Oferecendo as bases necessárias para resgatar a cidadania e a democracia, os trabalhos realizados por George Clemente e sua equipe respeitam e valorizam a população e podemos ver isso através das moradias dignas que serão construídas para os miguelenses”, ressaltou Betinha de Paula.

Centenas de pessoas prestigiaram o lançamento junto a autoridades como o secretário municipal de Articulação Política, Jó Clemente, os vereadores Célio da Caeté, Jorge da Farmácia, Djanete Rodrigues, Élson Vieira, Jairo Ramos, Dinho Jatobá e Arsênio Martins, o prefeito e o vice de Pilar, Oziel Barros e Renato Rezende, o gerente de Construção Civil da Caixa Econômica Federal, Alexandre Barros, o gerente da Caixa Econômica de São Miguel dos Campos, Fábio Rogerio, o representante do deputado federal João Lyra, Roberto Barros, os representates dos empresários miguelenses, Luiz Jatobá e Luiz Jatobá Filho, o representante da Associação Comercial e Empresarial de São Miguel dos Campos, Marcelo Ferragens, a governadora internacional do Rotary Club, Marly Ribeiro e o secretário municipal de Infraestrutura, Francisco Seabra.

Fonte: Assessoria

Estudantes do município participam de projeto fotográfico

Da Igreja Matriz de Leane da Silva, aos peões de Grazielly Lima, de Seu Nelson da Rabeca, clicado por Amanda Félix, ao comércio familiar de Nirlane Alves e dos Covos de Anderson Lucas, ao Filé de Nhayanne Silva, todas as imagens clicadas por estudantes de rede pública municipal de Marechal Deodoro se tornaram postais no projeto "Autorretrato - O Nordeste que é a nossa cara".

Patrocinado pelo BNDES, Banco do Nordeste de Cultura e Governo Federal, o projeto do jornalista Waldson Costa, junto a sua equipe, chegou a Marechal com 20 máquinas fotográficas digitais e em outras quatro cidades do interior de Alagoas para registrar manifestações artísticas e identidades culturais, isto é, o que lhes for próprio, de cada população. E após algumas oficinas e exposições de fotografia, os adolescentes da comunidade ribeirinha à Lagoa Manguaba, mas precisamente da Escola Municipal Eleuza Galvão tiveram a oportunidade de registrar em câmeras digitais imagens já comuns para eles e os surpreenderam em ver a imagem de sua cidade do ângulo que se tem a melhor vista.

As imagens poderão ser encontradas na internet no endereço: www.retratonordeste.blogspot.com/

A Igreja Matriz - de Leane da Silva, 13 anos

A fachada da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, Padroeira da Cidade Marechal Deodoro. O externo por onde se cuida do interno, das coisas de dentro, onde o que manda não é a razão, mas a fé e as crenças no invisível aos olhos.

Os peões – de Grazielly Lima, 12 anos

O congelamento da imagem dos peões, brinquedos que costumamos ver em movimento giratório, a imagem congela em curvas e circunferências fechadas em bico, compondo com linhas perpendiculares.

Seu Nelson da Rabeca – de Amanda Félix, 13 anos

O ilustre artista Nelson Da Rabeca, reconhecido pelos vizinhos da cidade de Marechal Deodoro embuste seu instrumento de trabalho e de cordas, debaixo do chapéu de couro.

Covos - Armadilhas para Siri – de Anderson Lucas, 13 anos

As circunferências lado a lado e a composição imagética do infinito, em outros trópicos talvez não fosse necessário, por alguma extinção da fauna, daí a propriedade de quem exercita o olhar detrás das lentes.

Comércio familiar – de Nirlane Alves, 12 anos

Simultâneo cuidado com o trabalho e a atividade de cuidar dos pequeninos.

O filé – de Nhayanne Silva, 14 anos

A variedade de cores e linhas entrelaçadas promovem uma viagem ao plano das mandalas, imagens que nos fazem refletir por dentro.

Fonte: ASCOM / MARECHAL

 

 

Geração de emprego e renda é tema de oficina em Arapiraca

A qualificação do trabalhador e a sistematização das ações articuladas para geração de novas oportunidades de geração de emprego e renda foram temas de debates de mais uma oficina do Plano Decenal do Desenvolvimento de Arapiraca, nesta quarta-feira (14).

Durante os períodos da manhã e tarde, na Escola de Governo Célia Rocha, representantes da classe empresarial, sindicatos, associações, organizações não-governamentais, universidades, Sebrae, Sine, Senac, Secretaria de Indústria, Comércio e Serviços, entre outros órgãos da administração municipal, participaram por mais de seis horas de debates da oficina “Arapiraca Para o Trabalhador”, que abordou temáticas voltadas à qualificação dos trabalhadores, identificação do perfil econômico e social do município para atender às demandas da população, sobretudo os jovens, pelos próximos dez anos.

O Plano Decenal está sendo coordenado por Paulo Sérgio Barboza e tem como orientador, o renomado consultor de empresas públicas e privadas Noaldo Dantas.

A primeira oficina começou no dia 1º de dezembro, como o tema: “Arapiraca Inclusiva”, incluindo planejamento voltado para a área da Assistência Social.

O cronograma reservou para o dia 2, a oficina “Arapiraca Inteligente, com temas abordados sobre Educação. No dia 5 foi a vez do tema: “Arapiraca Feliz – Esportes e Lazer”. No dia 6, os representantes da sociedade civil organizada e poder público debateram problemas e projetos voltados para o fortalecimento da agricultura, com a realização da oficina “Arapiraca no Campo”.

Na quarta-feira (7) da semana passada, o tema foi “Arapiraca Saudável”, com a oficina de debates e propostas para melhoria da saúde da população. Na sequência dos trabalhos, na quinta-feira (8), os mais de 30 integrantes da oficina “Arapiraca Criativa – Cultura” traçaram o planejamento para uma cidade mais atrativa e com opções de lazer e cultura para o povo.

Na segunda-feira (12), a série de 14 oficinas foi retomada com o tema “Arapiraca Móvel – Trânsito”. Em mais de seis horas de debates e formulações de propostas, o grupo levantou uma série de problemas enfrentados atualmente pelos moradores e visitantes e projetos para a melhoria da mobilidade urbana.

Na terça-feira (13), durante as seis horas de debates, os participantes da oficina Arapiraca Sustentável mostraram interesse em discutir os temas voltados ao meio ambiente e à qualidade de vida da população.

Parcerias

A representante da organização não-governamental Visão Mundial, Joelma Ribeiro, elogiou a qualidade dos debates durante a realização da oficina Arapiraca Para o Trabalhador.

“Esse tipo de discussão é muito importante para a sociedade, de forma especial para nós que já trabalhamos e fazemos ações articuladas com economia solidária”, afirmou Joelma.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Arapiraca, Geraldo Balbino, também destacou a amplitude e a democratização do acesso das discussões com a comunidade, como forma de encontrar soluções que possam melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores e das pessoas que vivem no município.

Organograma

As oficinas do Plano Decenal seguem na próxima segunda-feira (19), com a realização da oficina “Arapiraca Criativa”; 21/12-Arapiraca para todos; 22/12- Arapiraca do Futuro – Jovens; 04/01-Arapiraca Legal; 05/01 Arapiraca das Oportunidades; 06/01 Arapiraca Segura; 09/01 Oficina de Consolidação; 11/01-Oficina de Comunicação.

 

Fonte: Secom - Arapiraca

Organizadores definem detalhes da VI Feira dos Municípios

Para garantir a continuidade do sucesso da Feira, representantes dos municípios se reuniram esta manhã (15), no ajuste dos últimos detalhes e para tirar as dúvidas sobre a organização do evento. A VI Feira dos Municípios, este ano, mudou a data para 19 a 22 de janeiro, período de alta temporada, dando ao evento uma maior visibilidade.

Foram apresentados na reunião ajustes técnicos da montagem dos estandes, horário de funcionamento, distribuição de crachás, plano de comunicação, o concurso da Miss Municipal e as apresentações folclóricas. Em 2012, a organização vai investir ainda mais em segurança com a instalação de 14 câmeras no Centro de Convenções e duas centrais de cartão de crédito para facilitar as compras. A praça de alimentação será conduzida pela Associação de Culinária.

A secretária municipal de turismo de Maragogi, Raquel Novolisio, afirmou que já está quase tudo pronto. “Reunimos os artesões e verificamos a decoração do estante. Levaremos o artesanato representativo do município como o bolinho de goma, quengo de cocô e o filé de fibra da bananeira. A apresentação folclórica será o grupo de capoeira, Bordão de Ouro”, afirmou a secretária.

Para a primeira dama da Barra de São Miguel, Marcia Andrande, a mudança na data é de extrema importância para o turismo local. “Os artesões que já produziam em grande quantidade para a alta estação, agora estão produzindo ainda mais para a Feira dos Municípios. Uma garantia de boas vendas e maior visibilidade para nossa cidade”, afirmou a primeira dama.

Mais de 50 municípios e 06 empresas parceiras já confirmaram presença, com o total de 89 estandes vendidos. A venda ainda está sendo feita através da secretária da AMA e do Instituto parceiro e organizador do evento o IBCOM.

 

SERVIÇO:

FEIRA DOS MUNICÍPIOS ALAGOANOS

DATA: 19 a 22 de janeiro

LOCAL: CENTRO DE CONVENÇÕES

HORÁRIO: dia 19 das 17h às 22h. Nos demais dias, das 14h às 22h

ENTRADA GRATUITA

 

Fonte: Assesssoria

Audiência pública discutiu Meio Ambiente em Marechal Deodoro

 

Na tarde do dia 14 houve mais uma audiência pública no auditório do Ifal, para discutir a implantação de um condomínio residencial na região do Francês. Mais uma vez, ambientalistas, engenheiros ambientais, estudantes do Ifal e membrosde diversos órgãos públicos debateram sobre o possível impacto ambiental e social do empreendimento na região.

O ponto mais polêmico é de que a área à beira mar entre o lugar conhecido como Coqueiral e Rio Niquim, onde se pretende implantar o condomínio, também é tida como área de restinga. E ainda local onde há desova de tartarugas.

Os idealizadores do projeto sustentam a idéia de que não haverá impacto se alguns cuidados e manejos forem adotados. Os ambientalistas discordam. Esta foi a terceira audiência para discutir a situação.

ASCOM / MARECHAL

Campo Alegre
CIGIP
Tribunal de Contas